A moda e a diversidade

Se tem algo que nos impacta muito, é a moda. Impacta tanto, a ponto de muitas de nós, a maioria, pode-se dizer, não se sentir adequada ao que vemos na TV, revistas e redes sociais.

Em contrapartida, o nosso comportamento enquanto consumidor mudou. A mulher consumidora já não aceita passivamente essa imposição da moda por rótulos e estilos. Ela vai em busca de marcas que a representem, ou então, inventam o seu estilo. Não é?

 

Marcas que olham para pessoas

A Box1824, agência de pesquisa de tendências em consumo, em seu artigo sobre o livro “Moda com propósito” de André Carvalhal, mostra que tudo impacta na moda: o meio ambiente, o comportamento, a cultura e todas as esferas da existência humana:

“Essas características são mais fortes do que qualquer trend e marcarão a experiência humana nos próximos anos.”

Com isso, é quase inevitável que uma mudança aconteça na moda. Todos os processos de produção e divulgação do que é tendência ou fashion, será um resgate único da humanidade, e com isso, a diversidade de cada um de nós.

Nichos da moda

Já faz algum tempo que passamos a não aceitar imposições de marcas em campanhas que rotulam ou limitam a moda a um determinado segmento ou padrão. Com isso surgem os nichos.

Hoje em dia as pessoas querem se sentir realmente representadas por aquela marca ou produto de beleza. De olho nisso, ano passado a Louboutin, uma das marcas mais famosas e referência em sapato feminino, lançou sua linha de sandálias com vários tons de nude. Foi o começo da representatividade em calçados. Seguindo o exemplo, mais outras oito marcas exploraram os diversos tons de nude.

Outro nicho que não tolera mais a imposição é o plus size, o universo das pessoas acima do peso. Tidos como pessoas com problema de saúde, em uma generalização muito rasteira, esse público, tornou-se evidência para marcas que sabem valorizar a diferença dos corpos e buscam oferecer uma moda jovial e dentro das tendências para os gordinhos que lidam muito bem (ou não) com o seu peso.

 

diversidade-moda

E tem muito mais

Dentro dessa nova comunicação de marca, mais próxima do seu consumidor e humanizada de verdade, é preciso também referenciar marcas que valorizam e respeitam o genderless, o empoderamento feminino, o trânsgenero, o diferente, a beleza real, num claro entendimento de que é preciso acompanhar os passos do seu consumidor e fazer com que ele se sinta bem usando seu produto. É ele o principal embaixador da sua marca.
Até o Youtube, uma das principais plataformas sociais está de olho e tem trabalhado a diversidade. Nós da Nastária também, buscamos a beleza de ser você.

E ai, gostou do post? Comente aqui.

Beijos e até a próxima! 😘

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *